sexta-feira, 13 de março de 2009

Abandonado




Caminho árduo que parece não ter fim,

caminhas sozinho sem sorte

pedras afiadas duma calçada assim

encontras uma flor anunciando a morte.



Cais e levantas-te vezes sem conta

ninguém te vem socorrer ou amparar

andas por esse caminho de cabeça tonta

na esperança de algo novo poderes encontrar.



Trilho que um dia te parecia um sonho

depressa o sentiste no corpo pesadelo

deixas-te de acreditar num futuro risonho

pois sentiste na alma o que era um mar de gelo.



Abandonou-te ao acaso e sem piedade

depois de te ter mostrado como a vida é bela

agora aos caixotes andas nesta grande cidade

e nem te reconhece quando passas por ela.



Sem forças e sem querer, numa noite de luar

deitaste-te ao pé da flor que encontraste

fechas-te os olhos e ouviste a lua chamar

e como feliz nunca mais ias ser, choraste.


(escrito por mim)
Enviar um comentário