sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Ódio


Sons que ouço ao longe,
Vozes que me chamam,
fraquejo e olho,
sabendo que me queimam.

Falam estranho,
sussurram caladas,
gritam em coro,
palavras fechadas.

Medo tenho eu,
de um dia entender,
palavras vãs que no meu,
leito se poderão perder.

Não quero ouvir,
muito menos ter saudade
me livrem de sentir
tamanha maldade.

É algo que me corrói
me põe sem sentidos
e devagarinho mói
os sonhos já vividos.

Leva a lembrança do amor
guarda o calor que resta
embrulha a paixão e o fervor
e fica só o que não presta.
(por mim)
*Agradeço a preocupação de quem sentiu a falta da minha escrita, de momento estou com o braço direito doente e não me deixa estar aqui muito tempo, só para escrever este post estive aqui quase meia hora.
Aproveito para deixar beijinhos para todos os que me visitam e desejar um bom fim de semana :)
Enviar um comentário