segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Vida


Que imenso balão de cores
nos faz andar e girar.
nos dá alegria e prega dores
e faz chorar e rir sem parar.

Que tamanho irreal de prédio
cada compartimento um retalho
dias de stress e tédio
Construído com amor e trabalho.

Que ventania danada de boa
que traz cheiro a maresia e campo
onde a ilusão sempre voa
e nunca vem pintada de branco.

Que sombra agradável e estrondosa
nos abriga de sol e tempestades
como no ventre d'uma mãe bondosa
sentimos mentiras e verdades.

És sublime e altiva vereda
És mágica trilha ao luar
És rua sozinha a desvendar
És autoestrada para nunca parar
És aquilo que quero agarrar.


(escrito por mim)
Enviar um comentário