quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Num banco de jardim



Estava sentada num banco de jardim

O príncipe encantado não tinha chegado

Com um aceno sentaste-te ao pé de mim

Percebi que tinha chegado o meu amado.


Teu semblante alegre me fascinou

O sol que tocava na tua pele me iluminava

O teu sorriso largo e simples me cativou

Refrescava-me a leve brisa que passava.


Ofereceste-me uma flor silvestre

Tão linda e perfumada, não havia registo

Falavas comigo como um grande mestre

Tal homem nunca houvera visto.


Pegaste na minha mão branca e suada

Apaziguaste o meu acelerado coração

Disseste ao meu ouvido, és a minha amada

Entoando numa voz doce uma linda canção.


Não quero despertar deste lindo sonho

minha mãe, nunca mais quero acordar

prefiro viver nesta ilusão ao mundo medonho

que tanto me fez sofrer e chorar.


Minha linda, estás bem acordada

Olha para mim, minha adorada princesa

és agora a minha eterna amada

Serás na minha vida uma luz sempre acesa.


(escrito por mim)
Enviar um comentário