quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Cancro



Talhas o meu ser, como se de teu corpo se tratasse.

Colhes a minha seiva, onde te sacias e gozas.

Interrompes a minha vida, para dar lugar à tua.

E eu só te sinto quando é tarde demais.
(escrito por mim)
Enviar um comentário