quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Inverno Vs Primavera


Sou muito poderoso,
gelo tudo á minha volta.
Não há coração que aqueça,
com minhas brisas de névoa fria.
Cubro tudo de manto branco,
ondas de granizo mando.
Hiberno a vida,
escondo tudo em dilúvios.
Nada vinga enquanto estou aqui.
Ninguém supera o meu poder.


Coitado de ti,
tão cego e surdo és.
Derretes-te à minha presença,
secas com o meu passar.
Tudo comigo floresce.
Tudo cresce, tudo brilha.
Eu sou vida, eu sou côr.
Tudo fica repleto de amor,
e poder maior que esse,
hás-de-me mostrar,
que eu quero conhecer.
(escrito por mim)
Enviar um comentário