sexta-feira, 19 de dezembro de 2008



Meu corpo encortiçado.

Minha voz embargada.

Minh'alma sentida e cega.

Mas consciente da realidade...

(escrito por mim)

4 comentários:

João da Silva disse...

Que importa o resto, se a alma está consciente da realidade?
Magnífico quando no escrever-se pouco se diz muito.
Beijos carinhosos, com aroma de rosas, do João

Xana disse...

Obrigado pelas palavras, adorei a visita :)

A ignorância da realidade às vezes é uma benção dos céus....é a calmaria que nos aconchega.

Desejo um Feliz Natal com aqueles que mais ama.

Renato de Oliveira disse...

Olá Xana,

Escrito por si e muito bem, na minha opinião pessoal!

Procuremos restabelecer o equilibrio entre o que a imaginação da alma deseja e a razão autoriza.

Beijinho,

Renato

*Bela Poeta disse...

Situações assim nos tiram o ar. Como se fosse um desespero calado, em que nossa alma deveria desmaiar para não ver a tragédia, mas se mantêm na realidade, talvez achando que todo aquele momento é uma mera incenação, e tudo irá passar. Se vai mesmo, só o tempo para responder. Um abraço Xana e continue a nos inspirar. *Bela.