terça-feira, 12 de maio de 2009

Sofá


Podia haver mil histórias que vos podia contar. Conversas,risos, migalhas e revistas soltas,mas eu guardo algo inesquecível. Numa tarde de névoa e frio,aquecido pelo calor da lareira, fui o berço de um novo amor.


A menina que dava pulos em cima de mim, tinha agora 21 anos e tinha convidado um amigo para ir lá beber café.

Ligaram a aparelhagem e sentaram-se a conversar. As mãos dele passeavam pelo seu rosto, e as dela nas costas dele pediam mais carinhos.

Envolvidos pela música, a dança do tirar das roupas parecia fluir e os beijos acompanhavam em grande histeria e prazer.

Os dedos de cada um percorriam o corpo do outro em descoberta. Partilhavam cada momento como se fosse único. O calor da lareira e seus tons avermelhados, davam um colorido aos seus corpos suados. E num suspiro gemido de prazer ele disse-lhe, não queria mais deixar de ver aqueles dois peixinhos verdes no seu rosto, ela embevecida com o que acabava de ouvir apenas o abraçou e ficaram assim unidos de olhos fechados, a ouvir o estalar da madeira que ardia agora com menos intensidade.
Agora eu sabia que a minha menina tinha crescido


(escrito por mim)
Enviar um comentário