quinta-feira, 28 de maio de 2009

As ditas minorias

Hoje em dia , já não sei quem sejam as minorias...estou a falar de pessoas que se diz terem gostos ou vidas diferentes do dito "normal".
Normal será uma pessoa que anda , fala, vê,cheira, pensa, que respeita, que ama, que ri e chora, que constitui família ou não, que quer filhos ou não e talvez mais umas coisinhas mas acho que chega para definir o dito "normal".
O certo é que as pessoas não têm escrito na testa o que realmente são, a não ser que tenham deficiências físicas. Destes o Mundo sempre teve a postura do politicamente correcto, muitas ideias, associações, palestras e movimentos, mas quando chega a altura de haver uma rampa de acesso, elevadores, passeios desimpedidos de carros, leitura braille nos supermercados, ou o acesso a um simples multibanco , as coisas não são assim tão fáceis, essas pessoas não são uma minoria, são a maioria a ter problemas na nossa sociedade e ter uma vida digna e minimamente independente torna-se um calvário.
Depois temos as ditas minorias de ideias ou culturais que chateiam os ditos normais. Isso aí, já pia mais fino, o politicamente correcto começa a desvanecer-se, já nem toda a gente está de acordo em certas e determinadas coisas, coisas de etnia e religião , afecta muito a concepção de bom samaritano, tantas vezes se houve casos de violência em relação a pessoas negras, ou ciganas. Também temos os marginais e os drogados com vidas a que ninguém pensa lá ir parar e que muitos nem se lembram que existem a não ser que lhes peçam uma moeda para por o carro num sitio que toda a gente com dois dedos de testa o consegue arrumar ( tenho de admitir que odeio este tipo de situação e que nunca dou dinheiro), depois temos os pobres a dita pobreza extrema, esses têm sempre uma ajudazinha e o carinho de muitas pessoas que se mobilizam para dar um pouquinho que seja para facilitar a vida deles, com os bancos alimentares, voluntariados em diversos aspectos. Mas aí vem a mistura daqueles que realmente são pobres e que necessitam com aqueles que vivem em barracas ou casas sociais mas que têm um grande carrão à porta e que vão ao supermercado ou à igreja buscar coisas de táxi e que pagam rendas miseráveis onde habitam. Aí tenho também de dizer que me custa a engolir , não sei se as coisas que dou de boa vontade, chegam a casa das pessoas que realmente precisam, e se os meus impostos estão realmente a ser utilizados para proveito de pessoas que realmente merecem uma casa nova. Sempre fui educada nestes parâmetros, se queres peixe tens de molhar as calças...não é bem assim mas ok :)!! Ora bem, olhando para o lado o que a gente vê nesses bairros sociais são mulheres rodeadas dum batalhão de filhos para receberem mais da segurança social, temos os homens a vender nas feiras e noutros negócios que só dão ao fisco aquilo que bem querem e lhes apetece...conclusão, eles até podem ganhar mais que o meu marido ou tu, mas o estado como não sabe, são uma minoria que precisam de ajuda, atenção que não estou a dizer que são todos os casos, mas porra se não têm condições ponham uma rolha para não ter mais filhos, toda a gente que pensa no bem estar dos seus filhos faz isso, não se tem ninhadas para andarem na rua a pedir ou a vender pensos.
Bem há pouco tempo , isto em relação aos séculos que este planeta tem, podia-se dizer...à uns segundos atrás , apareceram umas novas minorias por aqui, pessoas que vêm foragidas de outros países á procura de melhor vida, que fogem da guerra, da fome. A esses, as coisas não são fáceis , mais que não seja que apesar de não haver guerra, o país não tem muitos empregos para dar e acontece que muitos percam os seus grandes sonhos. Este país tão pequenino e que parece um óasis pode-se tornar num pesadelo para quem vem sem nada na cartola. Desses tais croatas, romenos, brasileiros e muitos outros , deixa-se de ser politicamente correcto de caras, a ideia é que essa gente toda chegou aqui para tirar os empregos a quem cá estava , ora...vamos pensar um bocadinho, se havia empregos e se estavam sem ninguém é porque ninguém os queria, certo?? Mas não, aqui o melhor mesmo é dizer que essa gente de fora só veio estragar o mercado português e que se deviam ir todos embora. Vamos lá pensar de novo gente, e se fizéssemos uma troca? Todos os emigrantes portugueses espalhados pelo Mundo vinham para cá, e a gente punha fora estes que cá estão...acham que seria bom? Quem respondeu sim, acho que se engana redondamente, temos muito mais gente fora nossa do que temos gente de fora cá dentro, aí é que ia ser a desgraça completa.Vamos ser justos e dar hipóteses a quem quer trabalhar naquilo que nós não queremos, afinal trabalhar nas obras, a fazer limpezas a gente vai para fora para ganhar mais , não é? Pois eles fazem o mesmo !!
Depois há as ditas minorias de cariz sexual, ou seja que tenham outros gostos que não sejam os ditos normais, aqui estamos a falar dos heterossexuais em relação às mais diversas vertentes e opções sexuais de cada um. As coisas neste assunto chegam azedar,são uns tarados, metem nojo, Deus nos livre e tantos outros ditos. Pode-se dizer que as coisas hoje em dia, e se formos fazer a relação tempo com a existência da humanidade também se pode falar de segundos, portanto, desde à uns segundos atrás que as coisas se falam mais na sociedade, há mais informação o que não quer dizer que seja aceite, muito menos compreendido.Quando toca a colocarmos as coisas na mesma balança , péra aí, eles existem sim senhora, a gente até tem respeito e tal, mas eles que não se mexam muito e não exijam coisas que só nós temos direito, estou a falar por exemplo do casamento, muita gente não aceita que isso aconteça a não ser num casal heterossexual.
No que diz respeito a esse caso, não me importo absolutamente nada que isso um dia aqui em Portugal aconteça, não me choca absolutamente nada, acho que se duas pessoas têm uma vida conjunta que pagam impostos, que sofrem e amam junto, têm de ter os mesmos direitos que tenho eu e o meu marido. Quanto à questão de poderem adoptar uma criança, aí já não sou tão liberal, faz-me um pouco de impressão a criança não ter a imagem de um pai e de uma mãe. Até podes me dizer , mas isso pode acontecer sem estarem casados, e isso é verdade, imaginamos um casal heterossexual que se separa e ela se junta com uma mulher e fica com o filho do casal...essa criança a partir daí vai viver numa casa que tem como casal duas mulheres...mas eu digo, mesmo assim ele tem um pai! É coisa que me custa a engolir ainda, desculpem a minha sinceridade... por outro lado é preferível uma criança viver com dois pais ou duas mães e ser bem tratado e ser espancado por um casal heterossexual, nisso não há dúvidas , hein?
Nestas ditas minorias , depois há todos aqueles que podemos imaginar ou não, lésbicas, homossexuais, bissexuais e tantas mais variantes que me tenho apercebido que nem sabia da sua existência...Ora aqui eu tenho uma opinião formada, eu sou heterossexual, mas não ando por aí anunciar aos sete ventos que o sou, nem coloco imagens nem desejos na internet de intimidades que tenha com o meu marido, eu acho que isso é que choca a maior parte das pessoas, pelo menos a mim, custa-me admitir que todas as pessoas assim sejam, acho que a maioria das pessoas independentemente das suas tendências são recatadas como nós.
Outro dia estava a falar com o meu marido acerca disso, aqueles desfiles gays ou de lésbicas , mais parecem bacanais, se o fazem para ferir susceptibilidades...conseguem, agora se é para terem o seu cantinho e de lutarem pelo desejo de serem respeitados, tenho muita pena mas assim não conseguem, sempre ouvi dizer que com vinagre não se apanham moscas.
Outro grupo agora, mais falado até devido a uma novela portuguesa que passou á uns tempos são os swingers e suas variantes, acho que para ser mais in e mais fino dizem ser uma filosofia, bom se é assim que se sentem bem, que assim seja, portanto estes filósofos normalmente são um casal que gostam de trocar de parceiro, ou seja de comum acordo não se importam nada que o outro esteja no trumca pumba com outro, desculpem o ar brejeiro e se estou a ofender alguém.É que depois vão para casa feliz da vida e dormem juntos ou fazem sexo também...mas isso é lá com eles, nisso não tenho nada contra, cada um faz e come do que quer. Só acho que apesar de isto ser muito selecto, pelo menos da maneira como falam do assunto, pois até é uma filosofia, acho que é uma maneira de se viver com um amigo e de haver protecção durante uma relação sexual com outro tipo ou tipa, assim como assim a palavra proxeneta ou chulo são palavras muito pesadas para tal filosofia e fica melhor em meninas de rua, a coisa aqui é mais fina!
Então temos um casal comprometido, com uma relação muiiiiito aberta em que está tudo na paz e venha quem vier, amo-te comó caraças. Desculpem-me mais uma vez mas façam bom proveito, não era capaz de pensar sequer que o meu marido tivesse perto de outra mulher com intuito de lhe fazer algo de cariz sexual quanto mais fazer sexo, o mesmo pensa ele em relação a mim, que já falámos do assunto.
Por isso meus amigos, quem se esborracha na net a dizer as suas minorias expor fotos,textos e filmes de pornografia, depois não se queixe de nada.
Como eu não me vou queixar de nada se houver alguém que me leia e for destas minorias e me chamar de atrasada ou de mal amada...isso teria muita graça, me chamarem de mal amada hehehehehehehe.
Outra coisa que hoje em dia se está a tornar uma minoria , e isto é uma opinião muito pessoal, é a palavra amizade, a palavra amigo. Amigos são aqueles que nos fazem falta, fala-se muito aqui pela net amigo , amiga e depois pessoas que se queixam de serem largadas, de serem usadas e depois esquecidas, pessoas que exigem de uma outra pessoas fidelidade, de conversa, de textos, de comentários...
Um dia tivemos uma conversa que me foi bastante útil e que pode ser útil a alguém.
Devido a um caso, perguntava-me a mim própria e depois em conversa com outra pessoa se era assim tão importante ter um hi5, um facebook ou uma outra qualquer dessas coisas, e a pessoa em questão disse que não, era puramente uma distracção, que se dizia umas babozeiras, que se mandava os piropos que os outros queriam ouvir e pouco mais... e a conclusão desta conversa foi que quem a gente realmente tem como amiga ou amigo, mete em nossa casa e ajuda se um dia tiver aflito, e estes ditos amigos????? alguém punha alguém em casa ou ajudava por exemplo monetariamente? Acho que sei a resposta e vocês também....ninguém metia um amigo virtual em casa. Ninguém faz falta se um dia desaparecer, até nos podemos lembrar das boas conversas de alguma foto mais picante ou de uns olhos mais arrebatadores, mas só isso.
OLHA QUE PENA EU DESAPARECER HOJE DEPOIS DESTE POST!!! AINDA POR CIMA DEPOIS DO QUE DISSE.
Cultivem as vossas amizades reais , passeiem com eles , vão ao cinema, riam chorem com eles ...esses mesmo que sejam poucos são os vossos amigos e não se iludam com amizades virtuais, de tudo o que já vi e li parece que há pessoas com muito pouca vida para viver no dia a dia e precisam desta moleta, eu não acho nada saudável, acho até triste.
Não façam da amizade e da palavra amigo uma minoria :)
Bem haja a todas as minorias, e gozem a vida desde que não me chateiem a molécula, o mesmo digo às grandezas, não me queiram ver do avesso, ia cheirar muito mal e mesmo não sendo bonita, acho que gostam mais de mim assim , do direito.
desculpem ter sido tão extensa :)
(ESCRITO POR MIM)
Enviar um comentário