sábado, 8 de novembro de 2008

Vida

Corpo ausente, cabeça ao vento,
pensamentos vazios.
D'uma pedra nasce uma flor,
numa gota de orvalho vemos o arco-íris.
Dias negros,
dias de tanta felicidade, que temos medo que acabe.
Todos nós já tivemos dias assim.
A vida prega rasteiras,
mas também alegrias imensas.
Concordo que a monotonia não seja agradável
mas vamos ter calma ...
quero emoção, quero chorar e amar
mas não quero que me caia o céu em cima.
É doloroso, arrebatador,
dá medo,um aperto de morrer.
Vou fazer greve à tristeza,
ao sofrimento e ao desgosto.
Exijo a esta vida uma felicidade imensa,
e um eterno amor.

(escrito por mim)

Enviar um comentário