quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Amanhecer


(foto da net)

Dança o vento na colina,
espreita o melro pela folhagem,
vai-se embora a neblina
fica apenas uma aragem.

Solta seu grito o sol dourado,
amanhecem as flores do campo,
o grande carvalho envergonhado,
apaga a luz o pirilampo.

Sons coloridos se levantam,
o cheiro das estevas no ar,
é à vida que todos cantam,
 e nos embalam no seu sussurrar.

Acordo neste mar de paladares,
contigo no teu abraço quente,
 é nesta natureza sem maldades,
que me completo e sinto gente.

( escrito por mim)

10 comentários:

Mirze Souza disse...

Um amanhecer onde a vida palpita em êxtase!

Beijos, Xana!

Mirze

Xana disse...

É uma regalia amanhecer assim ! ;)
beijinho

tossan disse...

Você é uma poetisa! Muito bonito!

Xana disse...

Obrigada Tossan !

O Sal da nossa pele disse...

Gostei das palavras e do sentido do seu poema.

Abraço

Multiolhares disse...

que bom que voltaste, faz pena quando sentimos que as presenças nestes cantinhos se vão dispersando, no fundo criam-se laços.

bonito este teu poema
Bj

Sonia Schmorantz disse...

Parabéns, você escreveu muito bem, dá para sentir o cenário e todos os teus sentimentos.
beijos

Céci disse...

Ola Xana,

Este teu amanhecer é lindissimo, cheio de inspiração, amor e muito sentimento.

Adorei

Bjinhos

Céci

Xana disse...

Obrigada a todos pelas visitas, sinto-me feliz por o meu cantinho estar lentamente de volta ao que era antes

abraços a todos :)

Lmatta disse...

lindo beijos